terça-feira, novembro 09, 2004

Abril não chegou ainda à blogosfera?

Acabei de receber, via email, a mensagem que a seguir transcrevo.
Depois dos casos Marcelo e Caldeira eis que surge um por ventura ainda mais grave no que toca à censura e perseguição de quem usa o seu direito de opinião para denunciar e contestar os "poderosos".
Obviamente esta transcrição está sujeita ao muito em voga "contraditório" e o Sr.Presidente da C.M.Pombal poderá, se assim o entender, contactar-me para que publique a sua versão dos factos apresentados... Só não quero é que mande o meu patrão despedir-me.

"Exmo. Sr. ou Sr.ª:
Vem isto a propósito do caso Prof. Marcelo Rebelo de Sousa.
Nasci e tenho vivido num pequeno concelho (Pombal) do Litoral-Centro
(Distrito de Leiria). Não milito em nenhum grupo partidário.
Sou um simples cidadão nascido seis anos antes do 25 de Abril de 1974.
E como cidadão, ingénuo a pensar que haveria liberdade de expressão e de
opinião, criei em Julho passado um "blog" na Internet que pretendia ser um
espaço de reflexão e de debate de ideias, com críticas construtivas, sobre
o que está a acontecer na minha Terra. Nomeadamente sobre a actividade da
respectiva Câmara Municipal e outras instituições.
Esse "blog" num espaço de dois meses registou mais de 6.700 visitas, tendo
sido comentado em grande número por outros cidadãos/munícipes.
A respectiva autarquia, presidida pelo social-democrata Eng. Narciso Mota,
nunca usou o princípio do contraditório. Apesar de reconhecer que alguns
dos temas abordados tinham a sua veracidade, alterou alguns procedimentos,
dando razão ao que por lá se escrevia.
Reconhecendo que o "blog" era incómodo para o Poder (leia-se, Câmara
Municipal), o senhor presidente entendeu que a melhor forma de usar o
contraditório" era acabar com o mesmo. Vai daí, entrou em contacto com a
direcção/administração da empresa onde eu trabalhava e denunciou a sua
existência, fazendo ver que o "blog" era "gerido" em horas de expediente.
A direcção da empresa de imediato, e justificando que aquela situação
lesava a relação institucional com a Câmara Municipal, até porque
necessitava desta para legalizar algumas situações pendentes, despediu-me.
Isto, não argumentando com falta de profissionalismo ou de produtividade.
Mas sim,
porque o senhor presidente da Câmara assim os contactou para o efeito.
Esclareci a situação e comprometi-me a eliminar de imediato o "blog", o que
foi feito e aceite.
Precisamente um mês depois, e pelo meio alguns encontros realizados entre o
presidente da Câmara e a direcção/administração da empresa, fui novamente
confrontado com o despedimento. E perante duas opções: instauração de
processo disciplinar ou demissão voluntária, optei pela
segunda.
Ou seja, a intervenção do senhor presidente da Câmara Municipal de Pombal
neste processo é um facto. Tanto o é que um dos seus vereadores afirmou
perante algumas pessoas "já acabámos com o blog".
Esta situação é notoriamente idêntica à que aconteceu com o Prof. Marcelo
Rebelo de Sousa. Na sua proporção, obviamente. Mas, com um senão. o meu
futuro. Estou desempregado, com duas crianças de 20 meses para criar, casa
e carro para pagar. E esposa também desempregada.
E tanto mais que, ainda há dias, ouvi da boca de um eventual empregador:
reconheço que és a pessoa indicada para o meu projecto, mas quando o senhor
presidente da Câmara soubesse, caía o Carmo e a Trindade. E eu não quero
ter problemas com esse senhor".
É triste que 30 anos depois de uma revolução, ainda haja quem de uma forma
nojenta e vergonhosa, censure as vozes discordantes para que estas não
expressem livremente as suas opiniões.
Com os melhores cumprimentos
Atentamente
Orlando Manuel S. Cardoso
Rua Paul Harris, nº 13 - 1º Esq
3100-502 Pombal
Telef.: 236213594 - 936354363
E-mail: orlando.cardoso@zmail.pt"

Até logo, vizinhos.
Vou pra dentro.

Reacções:

0 comentários: