segunda-feira, novembro 20, 2006

COMO MATAR UMA ENGUIA

Desculpem lá mas vou continuar com o humor.Só esta semana e enquanto o Vizinho não se aborrecer.
COMO MATAR UMA ENGUIA

O Luisinho tem sete anos e como todos os miúdos da sua idade é bastante curioso.
Tendo ouvido falar sobre a arte de cortejar, ficou bastante intrigado sobre o que seria e como se faria, pelo que resolveu levar esta questão à mãe que ficou muito atrapalhada e em vez de lhe explicar disse para se esconder atrás da cortina e visse a sua irmã e o namorado.
Assim fez e na manhã seguinte contou à mãe tudo o que vira:

“ Mãe, a Susana e o namorado apagaram a maior parte das luzes e sentaram-se. Ele ficou perto dela e começou a abraça-la. A Susana deve ter começado a ficar doente visto que a sua face começou a ficar vermelha. O namorado deu por isso e colocou-lhe a mão por dentro da camisa, para sentir o coração, demorando porem muito tempo a encontrá-lo. Penso que também começou a ficar doente, porque ambos começaram a arfar e a ficar sem respiração. A outra mão dele devia estar fria, porque ele meteu-a por baixo da saia da Susana, que começou logo a escorregar para o fundo do sofá e a dizer que se sentia muito quente.
Por fim consegui ver o que realmente estava a provocar aquela doença pois uma enguia tinha saltado das calças dele e deveria ter para aí uns vinte centímetros de comprimento. JURO!!! De qualquer forma a Susana agarrou nela para impedir que fugisse, mas quando realmente viu o que tinha agarrado começou a ficar muito assustada, porque os olhos dela começaram a ficar muito arregalados, abriu muito a boca e começou a chamar por DEUS e outras coisas assim. Disse também que era a maior que tinha visto até então. Tenho que lhe falar daquelas que vi o pai pescar no lago…
Nessa altura a Susana deve ter ficado danada e tentou matá-la, comendo-lhe a cabeça. Subitamente ela fez um barulho e deixou-a fugir. Pegou-lhe novamente com as duas mãos, enquanto ele tirou do bolso um saco para evitar que a enguia voltasse a escapar. A Susana deitou-se então para trás e abriu as pernas de forma a fazer uma prisão para a enguia, enquanto ele tentava metê-la lá dentro deitando-se em cima dela. Mas a enguia dava uma luta dos diabos, pois andaram muito tempo para cima e para baixo, entra sai, sai e entra.
A Susana gemia, chorava e o namorado quase virava o sofá. Eu penso que eles afinal estavam a tentar esmagar a enguia entre eles. Passado um bocado ambos continuavam a gemer, a mexer e a deixarem fugir grandes suspiros. O namorado dela levantou-se e por certo tinha morto a enguia. Eu sei que estava morta, porque a vi pendurada e sem mexer.
A Susana e o namorado estavam cansados da batalha e sentaram-se a confortar-se um ao outro. Para a animar ele começou a beijá-la e diabos me levem se a enguia que estava morta, não começou a saltar e a luta começou novamente.
Eu penso que as enguias são como os gatos, que têm sete vidas ou mais! …
Desta vez a Susana saltou para cima dela e tentou metê-la de novo na prisão, o que acabou por conseguir depois de uma luta de cerca de 35 minutos. Mas desta vez acabaram mesmo por matá-la. E desta vez morreu mesmo, porque eu vi o namorado da Susana esfolá-la e deitar a pele pela retrete abaixo!”

Reacções:

0 comentários: