quinta-feira, junho 21, 2007

AI PORTUGAL, PORTUGAL...

... DO QUE É QUE TU ESTÁS À ESPERA?

Fui confrontado esta manhã com a incrível notícia de que o Dr.Caldeira, corajoso blogger do Portugal Profundo, foi processado pelo (infelizmente) ainda primeiro ministro "engenheiro", devido às investigações que realizou acerca das habilitações literárias do (infelizmente) ainda chefe do nosso (des)governo.
Acompanhei os posts do Dr.Caldeira sobre este assunto e constatei sempre o enorme cuidado com que eram apresentados os FACTOS, devidamente documentados, já para não falar no disclaimer, no fundo de cada post, onde se descartava a hipótese de Sócrates ser suspeito da pratica de qualquer crime. Ainda assim, e apesar de o percurso académico em causa conter ainda muitos factos estranhos e mal esclarecidos, já para não falar no provado uso indevido do título de engenheiro, que já confessou não possuir, o (infelizmente) ainda primeiro ministro não se absteve de processar quem ousou querer saber a verdade.
Ora, quem chegou onde chegou através de uma campanha eleitoral recheada de falsas promessas, quem quando se apanhou no poleiro faz exactamente o contrário do que disse, quem governa à direita, a favor dos ricos e poderosos, quem arrasa a classe média, quem fecha escolas, centros de saúde, hospitais, maternidades, quem no fundo espezinha os portugueses para em simultâneo pretender enveredar por projectos megalómanos como Ota e TGV, quem vê com agrado os bancos e os gigantes empresariais obterem lucros nunca antes alcançados pagando menos impostos que um vulgar trabalhador.... enfim, quem DESGOVERNA E ASFIXIA PORTUGAL com base em mentiras eleitorais, não pode exigir confiança cega, porque não a merece.
Assim, bem pode o (infelizmente) ainda primeiro ministro entupir os tribunais com processos pois os portugueses querem ver para crêr e até agora a única coisa que viram com esta governação foi arrogância, autoritarismo, desemprego, instabilidade, insegurança e queda acentuada do seu nível de vida.


Engenhoso...
Demagogo outorgado.
Impostor engenhoso.
Palrador e presunçoso.

Versado em simulação,
propagandeia amiúde
com devota convicção,
que o vil Capital privado,
protegido e reforçado
por força da exploração
dos pobres e humilhados,
é a redentora solução,
o porfiado milagre
para os infortúnios da alma
do pobre povo coitado
encalhado à beira água
do pais pré-afundado.

Beato, louva o desígnio
da régia governação,
o respeito coitadinho,
a servil submissão
ante a gula rapace,
os interesses mesquinhos
do bando de tratantes,
“mui” doutos usurários,
exploradores e falsários,
amigos grandes do peito,
a quem,
com leis decretos e beijinhos,
vai fazendo uns jeitinhos,
vai-lhes dando o jeito.

Do seu republicano trono
mono, manco, aldrabão,
em calinadas faraónicas,
propaladas à exaustão,
o génio engenhoso
do Sócrates mentiroso,
vai lançando o engodo,
criando a ilusão
de que ao povo espoliado
na sua elementar razão
de querer melhor salário
trabalho saúde educação,
basta estar acomodado,
sossegado adormecido
em nome da nação,
dos amanhãs que cantam
a xula da salvação.

made by Henrique Tê
Poema copiado daqui

Reacções:

0 comentários: